sábado, 19 de maio de 2012

Amizade ao Canário



(Guilherme de Almeida)

Nessa tua janela, solitário,
entre as grades douradas da gaiola,
teu amigo de exílio, teu canário
canta, e eu sei que esse canto te consola.


E, lá na rua, o povo tumultuário
ouvindo o canto que daqui se evola,
crê que é o nosso romance extraordinário
que naquela canção se desenrola.

Mas, cedo ou tarde, encontrarás, um dia,
calado e frio, na gaiola fria,
o teu canário que cantava tanto.

E eu chorarei. Teu pobre confidente
ensinou-me a chorar tão docemente,
que todo mundo pensará que eu canto.

4 comentários:

  1. Nada se compara ao canto apaixonado. A sua melodia é única e nunca será igualada.
    É de grande delicadeza fazer-se de canário do amor A beleza do seu canto fala com paixão.

    ResponderExcluir
  2. Linda poesia!Vim desejar ótimo fds!beijos,chica

    ResponderExcluir
  3. que coisa mais linda , amei ,
    "E eu chorarei. Teu pobre confidente
    ensinou-me a chorar tão docemente,
    que todo mundo pensará que eu canto"

    Somente uma alma sensível pode chorar assim !
    Tenha um fim de semana bem gostoso, e muita paz no coração !
    http://casascoisaseoutros.blogspot.com.br/
    Beijo no ♥ !

    ResponderExcluir
  4. Oi amiga muito obrigada pelo carinho e pelas lindas postagens cheias de esperança, que Deus te abençõe sempre e a todos nós, bjs e que vc. tenha uma linda semana, Kátia.

    ResponderExcluir

Deixe sua amizade aqui.

Leia também...

Related Posts with Thumbnails