segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Carta entre cunhadas (XXXIII)

Quando você está para baixo
E o mundo parece escuro e vazio
Seu Amigo Eterno levanta o seu astral
E faz daquele mundo escuro e vazio
Parecer de repente cheio e brilhante
Seu Amigo Eterno enfrenta...


Coelho da Rocha, 31 de Março de 1961
Querida e inesquecível amiga
Salve Maria!
Espero encontra-la feliz embora saudosa. Com este luar quem não sente saudades quando está longe do seu bem amado.
Tenha paciência, virão muitos luares iguais a esse, para vocês passarem juntos.
Calculo como deve se sentir com essa separação de dois meses depois dumas férias daquelas.
Mas para tudo há jeito nesse mundo;
O Zeca está sofrendo de apaixonite aguda, não há remédio que sare.
Eu procuro amenizar com um cafezinho de vez em quando, mas ele está sempre com um olhar muito longe daqui.
(Umas doze horas de viagem).
Segue aqui os meus votos de felicidades pela passagem do seu aniversário no próximo dia 15 de Abril.
As meninas vão vindo bem e estão todos com coqueluche mas já está branda a tosse. Quanto a missa, já faltei um Domingo. Pretendo voltar a frequentar no próximo que será de Páscoa, inclusive confessar e comungar.
O Zeca está escrevendo do quarto dele enquanto eu escrevo de cá, não sei qual vai gostar mais.
Escute, Simone já anda?
E os meninos daí, ficaram bons da tosse?
Tosse ingrata não é, Antonieta?
Deixa as crianças logo abatidas, o que vale é que dá uma vez só.
Mamãe manda lembranças a todos os seus.
Envio para D. Magnólia um respeitoso abraço e lembranças a todos os seus parentes que eu tive a oportunidade de conhecer.
Um abração de sua amiga.
Maria.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua amizade aqui.

Leia também...

Related Posts with Thumbnails