quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Carta entre cunhadas (XXX)

"Decidi ver cada deserto como uma possibilidade de encontrar um oásis."


Coelho da Rocha, 21-1-62
Querida cunhada
Salve Maria!
Comemoramos hoje, com muita saudade, aquele grande dia.
O dia que chegamos aí em sua casa.
Foi a maior viagem que já fiz em minha vida.
Viu como passa um ano?
Recordamos hoje todas as horas, a hora do café, do almoço, a hora que fomos passear na casa do coqueiro grande onde mora aquela sua tia risonha. Gostei muito de conversar com ela.
Gosto de pessoas alegres, como gostei de todos que tive oportunidade de conhecer.
No dia seguinte, fomos a reza, conseguimos arrastar o Pedro até a Igreja, o que aqui não consigo.
Ele será difícil de nos acompanhar até a Missa.
Enfim, seja como Deus quiser.
Felizmente tem deixado eu ir com os meninos. Aqui hoje ia haver uma grande festa de S. Sebastião mas, devido as fores chuvas, ficou transferida para o dia 5 de Fevereiro.
Com Crisma, procissão e será colocada a pedra fundamental para a construção de uma nova igreja que será a capela de S. Sebastião.
Antonieta, pergunte a Isa e Estela se elas se lembram que estavam cansadas de lavar tomate e quando D. Magnólia chamou para lavar uvas, vieram correndo e rindo e fizeram a maior farra na cozinha?
E como estão elas?
Cada vez mais gordas?
E a Assunta e a s crianças como estão?
Diga a D. Magnólia que a galinha assada estava um estouro, esquentei bem ela e chamamos aos peitos.
Mas que os biscoitinhos também não ficaram para trás.
E que muito agradeço este presentão.
Ah! Quero saber de você se esse blusão amarelo é um desafio?
Brincadeira.
Despeço-me saudosa, uma beijoca.

Maria


quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Carta entre cunhadas (XXIX)

Seja qual for o seu sonho, comece. Ousadia tem genialidade, poder e magia. 
(Goethe)



Coelho da Rocha, 20-12-61
Bondosa  cunhada
Saúde, paz e muita alegria são os meus votos neste fim de ano.
Aqui está tudo bem graças a Deus.
Tenho uma notícia a lhe dar sobre a primeira comunhão das meninas.
Não foi possível fazerem ainda neste ano devido ao pouco conhecimento que elas têm.
Eu quero que façam a comunhão sabendo perfeitamente o que representa aquele ato.
E a menor ainda está muito tolinha, espero que em Maio ou Dezembro de 62 elas não deixem de fazer.
Em Dezembro será melhor porque a sua presença dará um brilho na nossa festinha religiosa o que em Maio não acontecerá.
Faço questão que esteja presente junto com o titio mano.
Recomendações a todos e um abraço da quase cunhada.

Maria


terça-feira, 29 de outubro de 2013

Minha carta para Deus



Meu Bondoso Deus e Senhor

Como está se sentindo em relação a mim?
Estou indo bem por aqui?
Fale-me, ao coração, como devo me portar melhor para mais dignificar o Seu Bondoso Nome Santo, Meu Mestre e Senhor Jesus, ponho meus ouvidos em prontidão...
Enche-me do Seu Santo Espírito de Amor e lava-me de todos os meus pecados, por caridade!
Não quero ficar por aqui Lhe pedindo, sem parar, graças pessoais nem coletivas pois o que desejo hoje, tão somente, é render-Lhe glórias pelo que representa para  mim e para a humanidade inteira...
O Senhor fez tão grande Sacrifício por todos nós e, venho, através desta simples linhas, agradecer-Lhe do fundo da minha alma.
Sem palavras que possam expressar tudo o que tem feito por mim ao longo dos anos da minha vida há 60 anos já vividos, me encontro aqui.
Agradeço porque o Senhor retificou o meu modo de viver, de ser e fazer feliz que havia em mim porque mataram a minha auto estima e ela foi resgatada pela Sua Infinita Bondade.
Ficaria dias, noites e o resto da minha vida colocando nesta carta tanto agradecimento que não poderia fazer mais nada.
Me restrinjo a dizer-Lhe com sinceridade do coração (se bem que nem preciso falhar-lhe isso, pois conhece- me o íntimo e o de todos): Amo o Meu Mestre Amado com todas as potências com que me teceu no ventre materno.
Obrigado por ter me amparado quando vim ao mundo não me fazendo desistir de viver logo que nasci.
Obrigado, Meu "Raboni".
Amo o Senhor, sei que sabe disso... muito bem! Mesmo com a pobreza do meu coração.
Até nos revermos no Céu e em cada momento do meu dia quando me prostro diante de Sua Infinita e Majestosa Misericórdia, mesmo estando nos meus afazeres cotidianos.
Sua filha, irmã e amiga
Roselia Bezerra, a que o Senhor fez ter vontade de renascer...

Eis a foto do Meu Deus e Senhor... aquele por quem falo que morro de amor mas, muitas vezes, faço o contrário dos Seus Santos Desejos para mim... perdoe-me, Pai Santo!!!

Carta entre cunhadas (XXVIII)

"Bom mesmo é ir a luta com determinação, abraçar a vida com paixão, perder com classe e vencer com ousadia, pois o triunfo pertence a quem se atreve... A vida é muita para ser insignificante".
(Charles Chaplin)



Coelho da Rocha, 5 – 10- 60
Amiga cunhada
Felicidades
Estamos bem e eu desejo que os seus também estejam gozando de perfeita paz.
Estou satisfeita em saber que o seu enxoval já está em andamento. Agora sim!
Aqui vai um palpite.
A primeira peça a fazer deve ser o saco de pão para dar sorte.
Mas, se por acaso tiver feito outra peça, não se preocupe por isso. Seu santo da terra não gosta de superstições. Espero ansiosa o dia do nosso encontro, será de grande alegria para mim conhecer a uma pessoa a quem já dedico tanta afeição.
Diga a D. Magnólia que eu peço a Deus ter a felicidade que ela teve.
Em criar suas filhas educadas e fazer delas moças bondosas e queridas por todos. Admiro moças educadas e prendadas e espero de Deus mais essa graça.
Mamãe manda muitas lembranças a todos vocês e um especial abraço a você. Termino meu bilhete pequeno por fora grande por dentro, desejando-lhe um feliz Domingo e um fim de semana cheio de surpresas.
Mando sempre pelo Zeca um abraço bem apertado, ele lhe dá?
Beijinhos dos meninos e um abração meu.
Maria




segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Carta entre cunhadas (XXVII)



"O MAIOR ATO DE CORAGEM É A CORAGEM DE AMAR. PORQUE O AMOR É O GRANDE AGENTE DE TRANSFORMAÇÕES".

Coelho da Rocha, 1.11.60
Amiga cunhada
Saúde e paz é o meu desejo nesse grande dia de Todos os Santos.
Estamos bem e mamãe está aqui comigo. Passando uns meses para distrair.
Está passando bem e manda muitas lembranças a todos vocês.
Estamos planejando um passeio até aí.
Iremos a Campos e daremos um pulinho até aí se Deus quiser. Nem que seja só por um dia.
Estamos ansiosos por conhecê-los, eu principalmente.
A data certa não sabemos devido as férias das crianças.
Pedro talvez só possa ir em Janeiro e o Zeca também ainda não tem certeza das férias dele.
É quase certo que só iremos em Janeiro.
De qualquer modo, eu escreverei dando certeza da data.
Agradeço o abraço de D. Magnólia e envio-lhe outro.
As crianças gostam muito dos santinhos que você mandou e eu guardei-os no meu catecismo, junto a outros que tenho.
Tive a honra de receber seus móveis, são lindos!
Sua casa será um amor se Deus quiser.
Termino meu bilhete desejando-lhe um Novembro feliz embora saudoso.
Da amiga

Maria

domingo, 27 de outubro de 2013

Carta entre cunhadas (XXVI)


"Achar força e coragem para vislumbrar a saída é necessidade".
(Franzé Oliveira)

Coelho da Rocha, 4 de Setembro de 1960.
Bondosa cunhada
Felicidades!
Alegro-me, sinceramente, com suas bondosas palavras. Você tem uma alma de ouro, justamente como eu desejava que o Zeca encontrasse, pois ele assim o merece.
Vocês dois serão felizes ao que tudo indica.
Aqui, vamos indo bem, graças a Deus!
As crianças vão indo bem na escola.
Roselia mais adiantada, a menor, numa marcha mais lenta mas a diferença é fácil de se explicar.
É que Roselia, além de sobrinha é afilhada.
E o português de vocês dois melhorou?
Está para lá de bom, não é?
Agradeço o elogio sobre o vestido de noiva que fiz, porém estou muito longe de ter mãos de fada, faço apenas um arranjo.
Mamãe manda dizer que ficou muito satisfeita com sua carta e sente não poder responder de próprio punho. Como você sabe a mão dela é a doente.
Voltemos ao enxoval.
De fato, inspira melhor começar o enxoval depois do noivado. Dá mais uma força, não é assim?
Sinto estar longe e não poder lhe dar uma mãozinha apesar de coser mal e bordar ainda pior o que só serviria para estragar o seu enxoval. Mas de boa vontade, mesmo mal feito, a gente agradece, não é? Na carta anterior, mandei várias perguntas, queria desculpar. Não estava fazendo sindicância apenas estava sem assunto e acabei me intrometendo na sua vida.
Antonieta escrever para uma professora é muito difícil. Desculpe a bagunça.
Às vezes, me esqueço que estou escrevendo para uma catedrática tal é a intimidade que já temos por carta. Gostaria de escrever a sua altura mas estou longe disso. Falar e escrever bonito e certo não é para uma primarista.
Quero porém adiantar-lhe que minhas palavras apesar de erradas são sinceras. Seremos boas amigas, isso é que é importante.
Recomendações aos seus e um abração dessa que lhe deseja saúde e paz.

Maria

sábado, 26 de outubro de 2013

Carta entre cunhadas (XXV)



"Não pense naquilo que você tentou e falhou...
Mas com aquilo que ainda é possível você fazer" (acontecer)...
(João XXIII)



Coelho da Rocha, 7-8-60
Amiga cunhada
Saudosa por uma conversinha, resolvi lhe escrever umas linhas.
Aqui todos vamos bem e eu desejo que aí todos estejam da mesma forma.
Mamãe e Teresinha mandam muitas lembranças a você.
Meus meninos mandam um beijinho.
O Domingo aqui esteve ótimo e, à noite, um luar que só vendo.
O Zeca passou a tarde aqui dormiu um bom sono depois do almoço e quando acordou era noite. Ele só falava no luar ao seu lado. (Que maravilha!)
Manda-me dizer como você se sente com esse romance tão interessante. Fale-me do enxoval e do casamento, enfim.
Sua sobrinha é lindinha, sua filhinha também será. (Mariazinha)
Termino meu bilhete com um forte abraço e queria desculpar as bobagens que de repente bolei para lhe enviar.
Sua amiga

Maria

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Carta entre cunhadas (XXIV)

Não me arrependo de nada. Mas, vez em quando, passa pela cabeça um "ah, podia ter sido diferente!" Caio F de Abreu

Coelho da Rocha, 2-7-60
Amiga cunhada
É com satisfação que lhe escrevo essas linhas às pressas porque o tempo é escasso.
Seus sobrinhos não me dão tempo para nada.
Estou escrevendo e ensinado ao mesmo tempo. Uma quer saber quem assinou a Lei Áurea e a outra, como é a letra bê mais o menino pede água, enfim, o arroz está no fogo me chamando.
Imagine!
Espero encontra-la calma nesse momento e para que me entenda bem. Não quero dizer com isso que escrever uma carta me atrapalhe.
Não. Tenho até vontade de escrever, sempre gostei muito de escrever e ler, principalmente a uma pessoa amável como você. Não sei se você entende bem essa letra, faço esforço para melhorá-la e não consigo.
A Teresinha achou muito engraçado o título que ganhou (chofer de fogão) e está ansiosa que chegue a oportunidade de ir até aí.
Mamãe manda muitas lembranças e agradece o abraço que você mandou.
Aqui tudo corre regularmente bem graças a Divino.
Roselia gostou muito da cartinha, leu várias vezes e quer escrever mais, agora você terá que aturar essa amolação.
Antonieta, o Zeca não tem perdido uma missa aos Domingos e está muito satisfeito com o que já tem aprendido do catolicismo.
Eu mesma tenho ensinado alguns pormenores a ele.
Quanto à comunhão das meninas, a um ligeiro engano.
Elas ainda não frequentam o catecismo porque a menor ainda não lê e eu quero que façam juntas.
Você sabe, sem ler não se pode estudar e sem estudar bem elas não aprenderão todas as normas legais para a preparação religiosa.
Espero que elas façam a primeira comunhão entre sete e oito anos se Deus quiser.
Parabéns pelos cinco meses que vocês dois comemorarão amanhã dia oito.
Recomendações aos seus e um abraço especial a você, dessa que já lhe tem como amiga.

Maria

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Carta entre as cunhadas (XXIII)


Por vezes sentimos que aquilo que fazemos não é senão uma gota de água no mar. Mas o mar seria menor se lhe faltasse uma gota.



Coelho da Rocha, 4 de junho de 1960
Maria Antonieta
É com grande satisfação que lhe envio essas linhas, primeiramente agradecendo ao tratamento que você e os seus dedicaram ao meu querido mano Zeca. Em seguida quero adiantar que você é o assunto do dia e creia mesmo que já mora nos nossos corações.
Todos aqui estamos ansiosos por lhe conhecer, você tem trazido alegria ao Zeca, logo a nos também pois gostamos de vê-lo alegre.
Expresso aqui o meu convite para vir até minha casa.
O Pedro (meu marido) manda oferecer o nosso pequeno chatô, situado... Se pretender me responder mande a carta para o endereço do Zeca porque o correio aqui é incerto.
Mamãe está satisfeita com os últimos acontecimentos apesar de doente e sente-se, ao mesmo tempo, triste por não poder lhe escrever. Contudo manda-lhe dizer que tem rezado muito pela felicidade de vocês dois.
Como você sabe, as mães sempre se alegram com a felicidade dos filhos. Acabamos de nos consolar com o enlace do João, também nosso mano.
Agora, aguardamos o enlace de vocês dois.
Quanto ao tempo a esperar, não se preocupe que num instante passa, aqui está quem lhe pode consolar.
Fui noiva cinco anos e já tenho sete de casada. Parecia-me que o casamento nunca mais chegavam, até que um belo dia, tudo ficou resolvido (graças a Deus).
Casei-me no civil e no religioso, tenho meus três filhos e um marido muito bom.
Logo, valeu a pena esperar. Confie na sua felicidade e não se preocupe com a espera.
Termino saudosa apesar de não lhe conhecer.
Acredite que até as crianças já lhe chama de titia Maria (engraçado, não?)
Desculpe se não lhe agradaram as minhas bobas palavras e o meu fraquíssimo português.
Recomendações a todos e um especial abraço meu a você.

Sua futura cunhada
Maria



quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Carta entre cunhadas (XXII)



"Não podemos viver apenas para nós mesmos.
Mil fibras nos conectam com outras pessoas;
e por essas fibras nossas ações vão como causas
e voltam pra nós como efeitos."



Coelho da Rocha, 14-6-1962
Saudações
À minha cunhada
Para lhe desejar muita felicidade, escrevi esta pequenas linhas.
Que, no sonhado mês que vem, chegue para todos vocês com muita alegria e paz.
Assim como aqui nós estamos alegres e desejosos que chegue o dia, faço mil ideia como você está contente.
Aqui, o assunto do dia é o do seu enlace com o mano Zeca.
Só sinto não poder comparecer.
Peço quando chegar na igreja, e, no momento que jogares o véu, pense em mim para que o meu também seja em breve realizado.
Não como Roberto, mas sim com outro que em breve você conhecerá: Gercino.
Mamãe está um pouco adoentada, envia-lhe lembranças.
Desculpe a letra pois estava com pressa.
Desde já receba um forte abraço que tanto desejava dar-lhe pessoalmente no dia do seu matrimônio.
Assim termino essa.
Lembranças a todos.
Mil felicidade

Sua cunhada

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Carta entre cunhadas (XXI)




Já chamei pessoas próximas de "amigo" 
e descobri que não eram... 
Algumas pessoas nunca precisei chamar de nada 
e sempre foram e serão especiais para mim. 

Clarice Lispector


Coelho da Rocha, 6-4-1962
Saudações
Bondosíssima cunhada
Salve o mês de Maria, que está próximo.
Desejando –lhe muita saúde, inicio esta resposta da sua cartinha que muito me faz feliz, pois recebo palavras que me alegram o coração. Muito agradecida pelas bênçãos celestiais e que Deus e a Virgem Maria olhe por todas nós!
Antonieta, não chore mais!
Dentro em breve, seremos felizes!
Não repare a demora da resposta, pois eu não a esqueço, apenas falta tempo, o tempo voa e se não fizermos força, não temos minutos alguns de folga, você compreende?
Cunhada, meus parabéns por haver ganhado mais uma sobrinha. Que esta seja forte para se tornar uma jovem bela, e também pela data que está próxima, 15 de abril.
Peço a Deus que esse dia seja magnífico para você com saúde e muita felicidade.
Mamãe agradece o abraço e retribui a todos vocês.
Ela está aflita que o mano se case, depois, se correr tudo bem, a filhinha aqui fará o mesmo.
Antonieta, o Carnaval passou e o Robertinho, meu amor, não fez a viagem por falta de passagem e, passando alguns dias depois, resolveu enfrentar o velho, que recusou o casamento pois ele quer se casar dentro de quatro meses.
Já pensou eu e o seu junto, seria ótimo mas não é possível, estamos resolvendo o resto, isso me entristeceu um pouco.
Desculpe a gíria mas estamos agora por fora e dentro de uns dias estará tudo resolvido com fé em Deus e pé na tábua como diz o ditado.
Não repare a letra.
E assim finalizo estas mal traçadas linhas desejando-lhe muita felicidade.
Todos enviam lembranças e aceite o meu afetuoso abraço da sua futura cunhada.
Terezinha


segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Carta entre cunhadas (XX)


... o cair é do homem, mas o levantar é de Deus... - Sl.145:14

Coelho da Rocha, 1-3-1962
Querida cunhada
Saúde, com paz e muito amor é o que lhe desejo de todo coração.
Aqui vou vivendo aquela vidinha boa.
Sonhando um pouco acordada.
Pois não posso dormir no ponto, não acha?
O meu príncipe ainda anda cavalgando por longe, agora pelo Carnaval, ele irá passar uns dias aí no Espírito Santo com seus pais.
Para depois então vir falar com papai.
Eu estou ansiosa que passe bem depressa o Carnaval para que ele volte logo.
Antonieta, no que me parece, ele é um bom rapaz, pois dele só tenho boas notícias, chama-se Roberto, é simples e trabalhador.
Agora, resta pensar no futuro, não acha?
Eu estou satisfeita, e espero que Deus nada mande ao contrário.
Mamãe manda um forte abraço a você e aos seus.
Antonieta, eu tenho uma vontade louca de conhecê-la para conversar melhor.
E você, não pretende vir aqui antes do casamento?
Antonieta, não repare no assunto da carta, não tenho boa cabeça para escrever uma carta como você, adoro suas cartinhas.
Vou terminar esta, desejando-lhe muita felicidade e que estes meses voem depressa para eu conhecer a cunhadinha de perto.
Um forte abraço da sua cunhada.
Terezinha
Não repare a letra escrevi sem tempo.


domingo, 20 de outubro de 2013

Carte entre cunhadas (XIX)


"QUANDO SOMOS ABANDONADOS PELO MUNDO,
A SOLIDÃO É SUPERÁVEL;
QUANDO SOMOS ABANDONADOS POR NÓS MESMOS,
A SOLIDÃO É QUASE INCURÁVEL."

(Augusto Cury)




Coelho da Rocha, 8-1-1962
Saudações
Futura cunhada
Saúde e muita esperança é o que deseja a cunhadinha esperançosa de conhecê-la.
Fiquei muito satisfeita com o retratinho de Nossa Senhora que você me enviou. E que ela olhe sempre por nós, é o que sempre peço quando me deito.
Antonieta, desejo que este ano seja pra você e os seus, muito feliz, cheio de paz, amor e alegria.
E agora estou de novo amor. Por enquanto estou alegre e espero que possa prosseguir até o fim, como o seu: Espírito Santense.
Eu agora estou pedindo a Deus e a nossa Senhora que realmente haja sinceridade.
Ele parece ser sincero, muito educado e trabalhador. Estou muito contente.
Quanto a você, espero que os meses voem para eu comer docinhos.
Mamãe manda lembranças.
Vou terminar esta, desejando-lhe muita felicidade, paz e amor.
Um abraço da desejosa de conhecê-la.
Sua cunhada Terezinha

Não repare a letra, estava com pressa.

sábado, 19 de outubro de 2013

Carta entre cunhadas (XVIII)


"E ao homem é impossível viver quando seus desejos chegam ao fim, tal como quando seus sentidos e imaginação ficam paralisados... " (Thomas Hobbes)

Coelho da Rocha, 1.11.1961
Saudações
Futura cunhada
Espero que, ao receber esta, esteja com saúde.
É tudo de bom que pedimos ao nosso bom Deus.
Quanto a nós aqui, vamos indo bem de saúde, graças ao “Nosso Deus”.
Gostei muito do seu retratinho.
Sabe onde ele se encontra?
Em cima da cristaleira ao lado do seu amor.
O meu ainda não tive oportunidade de tirar, não houve tempo.
A sua camisolinha é igual ao joguinho do meu batizado, assim diz mamãe, mas eu só tenho a touquinha como lembrança.
Antonieta, eu fiz uma pequena viagem com papai e fiquei muito satisfeita, mas foi muito rápida, fui visitar meus tios e primos.
Desejo muita saúde para você continuar seu enxoval com toda felicidade.
Sem mais, aceite um afetuoso abraço de todos nós.
Lembranças a todos.
Receba de mim, muita saudade e vontade de lhe conhecer.
Sua cunhada

Terezinha

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Carta entre cunhadas (XVII)




 “Sede como pássaros que, ao pousarem um instante sobre ramos muito leves, sentem-nos ceder, mas cantam! Eles sabem que possuem asas”. (Victor Hugo).

Coelho da Rocha, 8-9-1961
Saudações
 Bondosa cunhada
Espero que, ao receber esta, esteja com perfeita saúde.
É o que todos desejamos.
Enquanto nós aqui vamos indo bem, graças a Deus.
Eu esperava fazer esta viagem com o mano mas ainda não foi possível pois estou fazendo o tratamento nos meus dentes ainda.
Mas desejo antes do fim do ano, conhecê-la pessoalmente.
Aqui todos só falam no seu matrimônio com o Zeca.
Quanto ao meu namoro, fracassou pois eu mesmo não esperava.
 Não tive mais notícias dele pois não mais regressou à minha casa.
Ele mora em cidade vizinha e nem sequer me deu explicação; vim a saber mais ou menos da sua situação por alguns conhecidos dele.
Por fim, era casado.
Veja, Maria, que logo do primeiro amor tive desilusão.
Agora, estou seguindo novos caminhos a espera de alguém que me faça ficar alegre.
Mas seja o que Deus quiser.
Quem espera sempre alcança.
Antonieta, não repare esta carta.
Sem melhores explicações, eu ando meio desorientada.
Mamãe manda lembrança.
Vou terminar esta carta com um forte abraço da sua futura cunhada.

Terezinha

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Carta entre cunhadas (XVI)





"As pessoas não debatem conteúdo, apenas rótulos.

Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência, minha alma tem pressa...

O essencial faz a vida valer a pena e para mim, basta o essencial"

Coelho da Rocha, 28-7-61
Saudações
Espero que ao receber esta, estejam com saúde você e todos os seus.
Eu, aqui, estou muito satisfeita e há muito desejava encontrar um ”Príncipe Encantado”, custou mas apareceu.
Quanto aos seus docinhos, estão breve a sair, não é?
Mamãe manda muita lembrança para vocês.
O mano cada vez mais apaixonado.
Antonieta, eu tenho uma imensa vontade de ir aí, mas espero em Setembro conhecê-la.
Agora, estou fazendo um tratamento nos meus dentes que vai até o fim do mês quando estará pronto.
Antonieta, espero que você não repare estas simples linhas pois estava com muita pressa.
Recomendações a todos.
Um forte abraço para você.
Sua cunhada

Terezinha

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Carta entre cunhadas (XV)


Ninguém chega a você por acaso, em TUDO há o propósito de DEUS. O mundo está nas mãos daqueles que têm CORAGEM de sonhar e CORRER O RISCO DE VIVER SEUS SONHOS.
Cada qual com o seu talento. Não enterre o seu, por favor!

Coelho da Rocha, 20-11-60
Prezada cunhada
Estou satisfeita com o decorrer do romance entre vocês.
Pelo que vejo, tudo correrá muito bem, se Deus quiser.
Você vai me desculpar-me por não ter escrito até agora, às vezes, fico sem jeito para escrever.
Mas, desejava comunicar-me com você.
Ainda não houve uma oportunidade, assim que for possível, irei aí.
Zeca me levará, talvez junto com a Nilza e o Pedro.
Gostei muito dos retratos daí. É um lugar muito bonito.
Por enquanto, vou escrever só isso. Envio recomendações a todos e um forte abraço para você.
Terezinha


terça-feira, 15 de outubro de 2013

Carta entre cunhadas (XIV)


SE ALGUÉM LHE PROCURAR:
Com LÁGRIMAS é porque você tem o lenço...
Com ALEGRIA é porque você tem o mel...
Com VERSO é porque você tem a música...
Com DÚVIDAS é porque você tem caminho...
Com DESÂNIMO é porque você tem estímulo...
Com DESESPERO é porque você tem entusiasmo...
Com SEGREDOS é porque você tem cumplicidade...
Com TUMULTO é porque você tem calma...
Com CONFIANÇA é porque você tem força...
Com MEDO é porque você tem amor...

Coelho da Rocha, 26-6-60
Saudações
À futura cunhada Antonieta
Espero ao receber esta carta esteja todos aí com saúde.
Aqui, todos vamos indo bem!
Senti em seu retrato um grande impulso de amizade pois da sua pessoa admirei-me.
Sei que, no momento, não poderei ir visitá-la mas ocasião não faltará.
Por ter três filhos não há tempo para nada.
Não corrija os erros, são muitos.
Despeço-me com lembranças a todos.

Rosa

Vire
Muitas lembranças de mamãe, ela não pode escrever.
Quando puder, envie-me retratos de santos daí pois também sou católica.
Futura cunhada
Rosa

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Carta entre cunhadas (XIII)


"O Tempo passa.
A vida acontece.
A distância separa.
As crianças crescem.
Os empregos vão e vêm.
As pessoas não fazem o que deveriam fazer.
O coração se rompe.
Os pais morrem.
Os colegas esquecem os favores.

As carreiras terminam".

Rio de Janeiro, Guanabara, 1-11-61
Futura cunhada
Espero que ao chegar estas mal traçadas linhas, encontre todos da sua família com saúde e plena felicidade.
Antonieta, aqui agora todos bem mas alguns dias antes, passei um susto como meu garoto Ivanir. Foi operado de um furúnculo e este me deu dor de cabeça. Agora sarou e estou viva.
Mais sossegada com ele.
Minha amiga, eu recebi uma grande surpresa em minha casa: a linda imagem de N. S. de Fátima e S. Sebastião. Somente por um dia mas que alegria para mim!
Que ela lhe dê tudo aquilo que você pretende ter em vida.
Peço a você que diga à sua mãe que eu adorei os biscoitinhos que ela nos mandou, que perfeição!
Cunhada, termino com lembranças e abraços para sua mãe, e você.
Enfim, todos da família.
Rosa


sábado, 12 de outubro de 2013

Cartinha da minha infância - parte 14- (6 aninhos)


Coelho da Rocha, 27-11-60

Minha futura titia

Envio-lhe mais essa cartinha desejando encontrá-la feliz como me sinto nesses momentos.
Estamos em vésperas de nos conhecer o que será muito bom par amim.
Desejo para a senhora um alegre mês de Dezembro e um feliz fim de ano cheio de novidades agradáveis.
Um abraço e sua bênção.
Sua futura sobrinha
Roselia

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Carta entre cunhadas (XII)



Quando iniciamos esta aventura chamada VIDA, não sabíamos das incríveis alegrias ou tristezas que estavam adiante. Nem sabíamos o quanto precisaríamos uns dos outros.

Em 26-5-61
Saudações
Querida e estimada amiga Antonieta, em primeiro lugar, desejo-lhes saúde a você e a todos da família.
Minha amiga, eu não te esqueci, não te escrevi por não ter tido nenhum tempo.
Mas a sua lembrança sempre está comigo.
Mas agora, sem esperar, José esteve em minha casa e então sentei-me e escrevi.
Espero que você me dê o prazer de vir até a minha casa bem em breve.
Saúde e felicidade a vocês todos daí.
Futura cunhada.

Rosa

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Carta entre cunhadas (XI)


Um amigo nunca está mais distante do que o alcance de uma necessidade, torcendo por você, intervindo em seu favor e esperando você de braços abertos, abençoando sua vida!


Coelho da Rocha, 25 de Novembro de 1961.
Gentil cunhada
Viva Jesus!
Aqui, todos com saúde, felizmente.
Estamos aguardando a decisão da viagem, por enquanto, nada posso garantir, se Dezembro ou Janeiro.
Saudade muitas, hein?
Do seu vem amado, não era para menos.
Agora, tenho-o pertinho de mim.
Como deve ser do seu conhecimento.
Zeca gora mora aqui em casa.
O Pedro manda perguntar se você não enjoou das minhas malfeitas cartas cheias de bobagens?
Não leve a mal, é brincadeira.
Então, como vão os bordados?
Sente-se muito atrapalhada?
Aguenta firme, você ainda não viu nada.
Pegue as manas para ajudar nas férias e diga a elas que fui eu que mandei, porque não gosto de ninguém parado.
Agora, quem vai parar sou eu.
Sabe que horas são? 10 h da noite, amanhã continuarei se Deus quiser.

Dou prosseguimento embora com sono outra vez porque são 9 h da noite do dia 26, perguntando-lhe como estão os seus parentes.
Se tem passeado muito, se tem trabalhado muito e se gostou do casamento forçado do Carlos com a Roberta. Já imaginou essa tragédia com um de nós, trocar de noivo?
Fique com Deus!
Beijinhos
Maria

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Carta entre cunhadas (X)


MAS... os verdadeiros amigos estão lá, não importa quanto tempo e quantos quilômetros... estão entre vocês.

Coelho da Rocha, 26-1-61
Bondosa cunhada
Salve Maria!
Com muita saudade, escrevo-lhe essas linhas e espero encontrá-la feliz juntamente com todos os seus.
Saímos daí seguindo para Cachoeiro na metade da viagem, o ônibus enguiçou sendo rebocado por um caminhão, o chofer pediu que todos soltassem para que ficasse leve o ônibus. Tivemos que caminhar a pé uns dez minutos atrás do ônibus como uma procissão. Até que na descida, a máquina resolveu pegar e então subimos todos seguindo normalmente o resto da viagem,
E em Cachoeiro, fizemos lanche e estivemos de 10 h 30 min às 14 h 30 min passeando por ali.
Seguimos viagem para Campos sem novidade. Ali nos esperavam, Petrônio e Aída. Os quais nos receberam muito bem e nos levaram para a casa da cidade no Ipiranga.
Ali passamos a noite e na manhã seguinte seguimos para a Praia de Gruçaí onde eles estão fazendo uma casa. De Campos, para a praia, uma hora e trinta minutos a pé. Já pensou?
Chegamos na para descansamos um dia e a noite resolvemos voltar par casa.
Pedro já estava preocupado com as vendas.
Dormimos, acordamos às 6 h e marchamos para Campos novamente.
Chegando lá, não havia condução para parte da manhã, tivemos que fazer horta até meio dia pela cidade até que chegou 12 h.
Petrônio nesta altura já tinha ido trabalhar pois tinha compromisso sérios e Aída ficou na Praia observando as obras.
Chegamos ao Rio num carro extra.
Nas proximidades de Aleluia, o carro apresentou defeito e teve que ir ficar na garagem.
Cegando em Niterói, outro carro substituiu o nosso, conduzindo os passageiros ao Rio pelas barcas.
O que tive muito medo.
Chegamos ao Rio debaixo de chuvas fortes.
Era 8 h 45 min da noite quase 9 h, pegamos a lotação pra Caxias, às 11 h chegamos em Coelho da Rocha, atravessando com água pelos joelhos.
O pequeno dormia no meu colo, a do meio no do Pedro e a maior no chão chorando com medo. Do escuro e da água que molhou até o vestido dela.
Ensopados, entramos em casa para espanto de todos.
Mamãe dormia, Guiomar e Enrique acabaram de se deitar cansadíssimos e nervosos.
Como vê, a ida foi ótima, o passeio ficou na história mas na volta, foi de amargar.
Com toda a dificuldade da volta, estamos satisfeitos com o passeio, gostamos muito de tudo e de todos.
Acordamos todo o povo da sua terra, eu espero ter sido compreendida por todos.
Se alguma tristeza tenha lhe causado, peço desculpas.
Agradeço de topo coração a atenção a mim dispensada e espero retribuí-la quando for possível virem aqui.
De um abraço nas meninas e na D. Magnólia.
Pergunte a Assunta como vai o Assunto.
Lembranças ao Zeca e Sr. Antônio.
Para você, beijinhos e beijocas e até um novo encontro como aquele.
Sua sincera amiga.
Maria


terça-feira, 8 de outubro de 2013

Carta entre cunhadas (IX)




Ninguém pode ser amigo de verdade de outra pessoa se não for um amigo da própria verdade.


Coelho da Rocha, 9-1-61
Bondosa cunhada
Salve Maria!
Estou satisfeitíssima comas notícias que vêm daí.
Estamos bem de saúde e tranquilos.
A animação é grande de viajar tanto do Pedro quanto das crianças e especialmente minha.
Gostei muito dos limões que me enviou e o tomate fez uma salada muito boa. Esta viagem ficará na história, será faísca.
Talvez viajaremos com S. Sebastião ou melhor, viajaremos com ele. Isto é, no dia 20 de janeiro à noite, chegando aí no dia 21 pela manhã. Você pede-me desculpas por não ter respondido à minha última carta, no entanto, se enganou. Respondeu e eu tive oportunidade de receber duas juntas, o que muito me alegrou.
Quanto ao problema de transporte para entrar aí, não se preocupe, entraremos mesmo a pé.
Até que fará bem caminhar um pouco pelos ares do campo.
Mamãe ainda está aqui e vai ficar até que eu volte daí se Deus quiser.
Fazendo assim companhia a minha irmã Guiomar que ficará aqui tomando conta para satisfazer a uma irmã.
Parada dura!
Nem é bom pensar.
Não sou fã de novela, vim acompanhando essa porque uma cunhada veio passar dias aqui e pediu para ligar.
Gostei, continuei e pretendo chegar ao fim.
Quero ver o bicho que vai dar.
Imagine que quando uma artista chora, o Pedro imita-a fazendo-nos rir.
Grita para mamãe: - D. Celina, a senhora não tem pena dessa coitadinha?
Chora também!
Mamãe tem se distraído um pouco aquilo ganha-se pouco mas é divertido. E assim, levamos  a vida na valsa.
Vou fazer café, é servida?
Muito boa noite, minha querida amiga e recomendações aos seus.
Um abraço de mamãe para você e lembrança à sua mãe, pai e manos.
Amanhã as meninas vão escrever umas linhas para você, elas estão fazendo provas nesta semana e só terminarão no dia 15.
Haverá uma festinha no colégio seguida de versinhos, etc.
Na próxima, já mandarei dizer quando iremos dar trabalho aí.
Até lá, Antonieta.

Maria

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Carta entre cunhadas (VIII)




É preciso tempo para se conhecer o valor de um homem.



Coelho da Rocha, 06-10-61.
Gentil Antonieta
Salve Maria!
Vamos indo bem e por aí como estão?
Já melhoraram da catapora?
As meninas também tiveram, sendo que a maior ficou pior do que a menor e o pequeno não teve.
Mas já está sumindo.
Agora, outra novidade: Ercy foi operada e está no hospital passando bem. Mamãe está boa e manda muitas lembranças para vocês.
O abraço da vez passada que você mandou quem deu primeiro foi a do meio.
Você queria saber quem era mais esperta, não é? Foi a miúda.
O pequeno já está quase escrevendo o nome dele.
Apesar de não gostar muito de ir à escola. E está sempre cansado.
Não repare eu não ter um assunto mais importante para contar. Essas linhas são só para não dizer que não mandei uma lembrancinha.
Não posso deixar a cunhada esquecida.
Termino saudosa e desejando-lhe um fim de semana cheio de felicidade.
Lembranças a todos e uma beijoca da chata.

Maria

domingo, 6 de outubro de 2013

Carta entre cunhadas (VII)


Que tenho eu para que procures minha amizade?
Que interesse tens, meu Deus,
Que à minha porta,
Coberto de orvalho,
Passas as noites
Obscuras do inverno?

(Lope de Veja)

Coelho da Rocha, 1 de Novembro de 1961.
Bondosa cunhada
Salve Maria e todos os Santos!
Mais umas linhas para a minha querida amiga.
Espero que Deus possa nos fazer boas amigas.
Quem pede a Deus bondade para si e para os outros só pode ser feliz.
E você sabe disso melhor do que eu, pois tem dedicado mais horas a Ele do que eu.
Só agora tenho dedicado a Deus algumas horinhas, porque antes não podia nem falar em ir a uma missa.
Seu Pedro achava uma bobagem.
Agora, ele está mais camarada e mais compreensivo, só não nos acompanha.
Mas o dia virá.
Antonieta, agradeça a D. Magnólia por mim os biscoitinhos maravilhosos que me mandou e desculpe não mandar coisa melhor para ela.
Pois ela assim o merece.
Não sei como agradecer tanta gentileza quando aí estive.
Foram dias maravilhosos que jamais pensei passar dias tão bons e tão sossegados.
Só em Dois Irmãos tive essa felicidade. Desejo um dia receber em minha casa e fazer tanto quanto possível para os agradecer.
Mamãe também tem muita vontade de os conhecer e sempre manda muitas lembranças para todos.
Isa e Estela como vão no colégio, bem?
Estou com saudade das garotas, são levadas!
Parabéns pelo bonito enxoval que está organizando.
O Zé traz daí ótimas notícias, ele está satisfeitíssimo com tudo e com todos. Gosta muito de elogiá-los.
Também não é para menos, são, realmente, criaturas boas e compreensíveis.
E Assunta, como está? Dê lembranças a ela.
Termino desejando-lhe esses quatro dias cheios de plena felicidade ao lado do seu amado.
Uma beijoca da inoportuna.
Maria

Leia também...

Related Posts with Thumbnails