sábado, 24 de outubro de 2020

Eu já fui Criança um dia!




Tê Nolasco💙

Cris💙 


Ilumina, ó Minha Mãe esse meu medo, por favor!
Me mostra a liberdade de viver no seu Amor...
Me leva às profundezas das minhas emoções...

Rumo ao oceano
Nas suas águas brincar...
Só beleza apreciando...
Para a vida celebrar...

Deixar o sol nascer dentro do meu coração...
O Amor manisfestar a mais pura gratidão...
A vida revelar a verdade do meu ser...
Ó mãe natureza,
Lembrai-nos da nossa essência...


Eu já fui criança um dia!

Balinhas de groselha


Groselha
Que frutinha mais linda!
Beleza afetiva...


Eu cresci...

Brincar como se ainda fosse criança...
É preciso.


O "Boteco" Afetivo da Minha Infância

Era um percurso distante que íamos a pé, meu pai e eu até minha escola de infância.
Ele andava bem rápido, muito tinha que apressar para lhe acompanhar, mas ele sempre me esperava. Era um lugar sem perigo, tipo interior mesmo. Ruas sem calçamento, de terra e com morros em frente que muito percorri com ele ao entregar mercadorias, pois ele era autônomo e vendia queijos e linguiça mineira que trazia com meu padrinho, muitas vezes indo buscar em Minas Gerais.
Ah! Tempo bom, com queijos diversos no cotidiano e adorava o cabacinha pelo formato... uma bola em baixo e uma pequenina em cima... Coisas de criança.
Ajudava-o a lavar tudo que vinha nos jacás, um cesto tipo canoa de madeira com uma divisória ao meio, eu fazia aquilo com grande prazer e, hoje, quando lavo meus queijos que jamais se compararm aos daquela época, penso nele e choro ainda...
Era pequenina do tamanho de um botão... Ele pequenino somente de estatura, não mais.
Chegávamos à porta da escola, era uma alegria dupla, local que amava estar e as deliciosas balinhas de groselha, bem vermelhinhas e açucaradas.
Ah! Que gostinho de infância feliz como nos condiz!
O "boteco" que ia com meu amado  pai não era de "bêbados" (não era bulling chamar assim, antigamente), dependentes do álcool chamados hoje em dia, pelo menos na hora matinal que entrávamos  os dois, bem cedinho.
O moço que não me lembro o nome, também português, embrulhava minhas cem gramas de Amor em forma de balas, num papel grosso de embrulho, dobrado de forma inusitada que terminava com a forma de um pastel. Jamais me esqueci do detalhe. Acompanhava com os olhos e 💙, bem atenta para degustar na hora da  merenda.
Por falar em merenda, minha diretora e amiga (eu era a pupila dos olhos dela e da dona Nilza, minha amada professora), saboreava um mingau de aveia na caneca que sabia ser delicioso... Talvez por empatia  a quem se deliciava.
Um páreo duro até hoje é o mingau de fubá e o de aveia para mim. Gosto dos dois, sem sombra de dúvidas.
Agora,  voltando ao "boteco do meu pai" em questão, que saborosa lembrança me vem à tona no mês das crianças!
Já procurei a balinha do Amor em muitos Shoppings e "nada feito" ou neca de pitibira (expressões do meu saudoso pai)...
Mesmo que a achasse, ela não seria igual, nem viria embrulhada com aquela perfeição, muito menos teria o carinho de quem me ofertava e dava sabor à minha vida...
Enfim, tive minha fase de criança feliz.
Todos temos...
Boas recordações. 

P.S. O texto da amiga Ana me serviu de mote inspirador:



 

Criança ainda  não se tornou escrava de expectativas.




Podemos até perguntar até mesmo  se a criança não seria o maior filósofo.


Eu cresci...




É que uma criança não possui opiniões preconcebidas.

Meu amado me restituiu a alegria de viver...




A criança experimenta o mundo tal como ele é, sem acrescentar coisas ao que experimenta.






Família é porto seguro,
Quando se tem Amor puro.
Tão bom ter um ancoradouro,
Na aflição, vale mais que ouro.

Todos temos uma família, real,
Seja do jeito que for.Virtual
Vale tanto se não for do mal,
Sentimos agraciados, é leal.

20 comentários:

  1. OI, Roselia!
    Acho que quase todas nós tinhamos uma vendinha perto de casa, um português chamado Manoel nas nossas vidas, é aqueles doces que já não existem mais... sempre bom lembrar!

    Ótima crônica, e fico feliz que a minha tenha inspirado você. Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite de paz, querida amiga Ana!
      Vendinha creio ser a palavra correta e não me lembrei dela na criação do texto, pois estive motivada pelo "seu buteco".
      Lembra do doce de abóbora em forma de 🧡?
      E o de batata doce?
      Que felicidade e delícias sem medo do açúcar!
      Você escreve como escritura grande e eu como projeto de escritora, como brincava meu amado pai.😍.
      Muito obrigada pelo seu carinho incentivador
      Tenha dias abençoados!
      Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

      Excluir
  2. Que lindo,Roselia! Adorei as recordações desse boteco... Tantas coisas ficam marcadas! Lindo relembrar e gostei da groselha, das balinhas e tuas fotos de criança. Tão bom e importante ter a criança em nós, ainda hoje! beijos, chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite de paz, querida amiga Chica!
      Muitas são as boas marcas da infância.
      Gosto muito de recordar os bons tempos.
      Sim, a minha criança interior me impulsiona na alegria e no sabor às pequeninas coisas.
      Muito obrigada pelo seu carinho incentivador.
      Tenha dias abençoados!
      Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

      Excluir
  3. Oi querida Rosélia! Bom dia!

    Que gostoso ler sua lembrança tão rica e suas fotos tão queridas...
    Fiquei imaginando todo o trajeto até o Boteco afetivo da sua infância...as balinhas, o embrulho tão cuidadoso do dono do boteco,a alegria e entusiasmo de receber essas balas e esperá-las para a sobremesa... a lembrança terna do seu pai...

    Da outra parte , o mingau da escola... lembrei-me das nossas merendas, como falávamos antigamente não é mesmo? Sua poesia no final fechou com chave de ouro...

    Adoro ler um conto, principalmente quando é real e se trata dessa época tão rica que é a infância...
    Com perfeição ou sem perfeição, ela existiu..

    Obrigada por esse doce relato e essa participação linda que fechou com chave de ouro nossa BC Muito obrigada por esse tempo conosco...

    Seu link já está la.. Beijos doces..

    Tê e Maria ♥ (Que tudo se resolva por aí)..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite de paz, querida amiga Tê e Maria!
      Na imaginação, que bom ter caminhado comigo até o Instituto Vitória onde estudei até o quarto ano primário onde fui para o colégio de Freitas até me formar em professora.
      Foi tão bom o tempo que participei neste ano e lamento muito ter chegado aí fim, querida.
      Muito obrigada pelo seu carinho incentivador.
      Tenha dias abençoados!
      Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

      Excluir
  4. Boa tarde, Rosélia!

    Próximo à casa onde eu morava tínhamos uma "vendinha", conforme chamávamos "venda do Tiãozinho". Lá eu ia com meu dinheirinho após ajudar em casa! Ganhava como recompensa para comprar guloseimas tais quais suas balinhas do amor!

    Infância também nos liga à saudades... saudade dos queridos e das doces lembranças.

    Beijo, beijo!!

    Renata e Laura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite de paz, querida amiga Renata e Laura!
      Vendinha era famosa no interior... Tinha um pouco de tudo.
      Que legal ganhar umas moedinhas para comprar balinhas de amor!😍😍🍬🍬
      São doces lembranças em nós. Inesquecíveis!
      Muito obrigada pelo seu carinho incentivador.
      Tenha dias abençoados!
      Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

      Excluir
  5. Que lindo mergulho em sua infância e como pequenas coisas como o embrulho das balas tráz lindas recordações!
    Assim como as idas ao boteco... O caminhar, o tempo junto. A liberdade que hj vemos tão limitadas.
    Amei as fotos!
    E sim, nós crescemos... não tivemos escolha nessa parte! Mas, escolhemos cada qual carregar em si um pouco da infância. Da saudade, das memórias !
    Do que nos era lúdico... das amizades!
    Que linda postagem... encantada!
    Obrigada por participar conosco!!
    Bjs, Cris

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite de paz, querida amiga Cris!
      Que pena ter chegado ao fim nossa BC!
      Era muito boa nossa infância, rodeada de priminhos para brincadeiras.
      Lembrei-me agora da brincadeira de passar anel. Adorava...
      Memórias maravilhosas e jamais apagadas.
      Muito obrigada pelo seu carinho incentivador.
      Tenha dias abençoados!
      Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

      Excluir
  6. Ricas lembranças, Roselia. Um tempo em que crianças eram, realmente, crianças. As recordações têm cores e sabores, todas embaladas no amor. Sua postagem fiou encantadora. Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite de paz, querida amiga Marilene!
      É mesmo o Amor que embala nossas recordações.
      Como disse tão bem, dão cores, sabores, todos diferenciados.
      Muito obrigada pelo seu carinho incentivador.
      Tenha dias abençoados!
      Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

      Excluir
  7. Gostei muito de ler sua história naquele tempo em que criança tinha liberdade, tinha bicicleta, boneca, brincava na rua com outros amiguinhos de bandido e ladrão rssssss, hoje não se brinca, é 'trabalho' sério.
    Mas quem não tinha um boteco na vida? Aqui chamavam mais de 'armazém do seu fulano'...rss
    'Vai lá no seu fulano e traz farinha de mandioca!'
    Bons tempos, éramos felizes crianças!
    Querida Rosélia, essa sua crônica... se deixar contamos muitas das nossas histórias!
    Muito gostosa!
    Beijo, um bom fim de semana que está chegando.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite de paz, querida amiga Taís!
      Eu nunca brinquei na rua, tínhamos muito primos e a diversão era em família mesmo. Muito bom era.
      Era assim mesmo, do seu Antônio, do seu Manoel... Portugueses trabalhadores que, honradamente, ganhavam seu pão.
      Temos tantas histórias, amiga...
      Muito obrigada pelo seu carinho incentivador.
      Tenha dias abençoados!
      Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

      Excluir
  8. Lindas fotos e lembranças, Rosélia.
    A infância é sempre recheada de boas lembranças, por vezes as mais simples e as mais tocantes...
    Beijos
    Ju

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite de paz, querida amiga Ju!
      Sim, as mais simples tocam o âmago do nosso ser.
      Muito obrigada pelo seu carinho incentivador.
      Tenha dias abençoados!
      Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

      Excluir
  9. Que bonito, querida Rosélia! Ainda por cima, o senhor era português :)
    Há coisas que gostaríamos tanto que voltassem, mas não voltam, pelo menos iguais.
    Beijinhos :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite de sábado, querida amiga Madalena!
      Interessante coincidência, desde pequenina tive contato com portugueses muito trabalhadores
      Muito obrigada pelo seu carinho incentivador.
      Tenha um ótimo domingo abençoado!
      Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

      Excluir
  10. Digo com clareza, que ter sido criança, foi ter vivido um tempo de feliz idade.
    A criança livre sob alguns princípios e modelos de educação, souberam e puderam ser criança para carregarem pela vida uma sacola de recordações e boas lembranças.
    Bonita participação na bela BC das meninas.
    Beijo de paz e que a criança vivida possa estar ativa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite de sábado, querido amigo Toninho!
      Carregamos felizes a sacola de boas recordações.
      Muito obrigada pelo seu carinho incentivador.
      Tenha um ótimo domingo abençoado!
      Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

      Excluir

Deixe sua amizade aqui.

Leia também...

Related Posts with Thumbnails